Alcatel-Lucent comemora melhora no caixa, mas mantém prejuízo


A Alcatel-Lucent comemorou hoje, 30, o resultado do segundo trimestre do ano. A empresa registrou fluxo de caixa livre positivo em € 65 milhões. Foi a primeira vez, desde a fusão entre a Alcatel e a Lucent, em 2006, que o grupo registra fluxo positivo nos meses de abril a junho. No semestre, o caixa livre ainda é negativo em € 267 milhões, mas a situação é melhor em relação ao ano passado, quando nos primeiros seis meses o caixa era negativo em € 603 milhões.

As receitas da empresa aumentaram 6% em relação ao mesmo período de 2014, atingindo € 3,4 bilhões. Como no caso da Nokia, a Alcatel-Lucent se beneficiou de flutuações no câmbio. Se o valor do euro tivesse se mantido estável, a receita teria caído 8% no período. No semestre, a receita foi de € 6,68 bilhões.

O prejuízo encolheu 244% no segundo trimestre, fechando junho em € 54 milhões. No semestre, o prejuízo é de € 126 milhões, 245% menor em relação a 2014.

Para o CEO da empresa, Michel Combes, que em 1º de setembro deixa o cargo, os números indicam que o Shift Plan, estratégia de turnaround para a companhia, está próximo do fim. Ele justifica a análise observando que a receita com vendas para redes de próxima geração cresce 17%, de forma composta, ao ano. Destaca que a companhia conseguiu passar de margem operacional negativa em 2012, para positiva no segundo trimestre deste ano. O mesmo valendo para o fluxo de caixa livre.

Ao sair, Combes será substituído interinamente por Philippe Camus, chairman do conselho de administração, o CEO. Também haverá outras mudanças no comando da companhia. Philippe Guillemot, COO, vai liderar as operações, e, com Basil Alwan, presidente da divisão de IP routing e Transport, ajudar Jean Raby, atual CFO, a concluir a fusão com a Nokia.

Anterior Anatel aprova mudança acionária da NII Holding, mas frisa que há um acionista com poder de mando
Próximos Algar Telecom vai revender Office 365, da Microsoft