Airbus confirma cronograma para testes de drones na logística


Na semana passada, durante o Singapore Airshow 2018, a Airbus confirmou seu cronograma para dar início aos testes de drones na área de logística. Eles serão iniciados no segundo semestre, em parceria com a CAAS (Autoridade Civil de Singapura) e com a adesão do SingPost desde o ano passado. Denominado como projeto Skyways, eles preveem um sistema automatizado de entregas de pacotes.

Os primeiros testes serão feitos em estações designadas no campus da Universidade Nacional de Singapura. Os pacotes a serem entregues serão primeiro carregados automaticamente nos drones via um braço de robótica. Os drones voarão ao longo de corredores aéreos para evitar colisões e serão monitorados por uma por uma estação central.

Segundo a Airbus, os drones que estarão em testes são sofisticados produtos aeronáuticos de ponta que têm como base a experiência da Airbus Helicopters e da subsidiária Defense e Space. A arquitetura de sistemas foi desenvolvida e validada pela primeira vez na França e depois projetada e construída em Singapura. Na fase inicial, serão cinco ou seis drones que coletarão dados e insights para o futuro do projeto. Caso seja bem-sucedida, a equipe da Skyways pretende ampliar o escopo da fase inicial de testes para entregar pacotes aos navios ancorados no Porto de Singapura.

“ É uma ótima oportunidade para a Airbus executar uma primeira exploração de mobilidade aérea autônoma e elétrica ao vivo. Estamos essencialmente abrindo a caixa de Pandora para determinar o que será necessário para veículos não tripulados voarem com segurança nas cidades. Todas as questões regulatórias deverão ser devidamente abordadas antes de vermos os drones ou os veículos de passageiros elétricos de decolagem e aterrissagem verticais (eVTOL) de maior porte como o CityAirbus voando acima de nossas cabeças”., comentou Leo Jeoh, diretor de design da Airbus Helicopters e líder da Skyways.

Anterior Renata Randi assume diretoria global de marketing na Logicalis
Próximos Kaspersky descobre vulnerabilidade de “dia zero” no Telegram que afeta criptomoedas