Agricultura vai mapear área rural para instalação de antenas de celular


Foto: Projetado pelo Freepik
Foto: Projetado pelo Freepik

Os ministérios da Agricultura e da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC) irão fazer um mapeamento de todo o relevo das regiões agricultáveis para identificar os melhores locais para a instalação de antenas de celular, anunciou hoje, 21, o diretor do departamento de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, Luis Claudio França.

“Iremos também fazer o levantamento das necessidades de licenças ambientais, para que possamos acelerar o investimento com a conectividade no campo ainda este ano”, afirmou ele.

Segundo França, o acesso à internet é o principal desafio da agricultura de precisão. E a proposta do ministério para a política de conectividade é que ela se transforme em alternativa para os agricultores de todos os tamanhos. “Não pode haver isolamento”, afirmou.

Entre as iniciativas do ministério, estão sendo criados o forum de Inovação Agropecurário; serão fortalecidos os polos tecnológicos agropecurários; e políticas para a difusão de inovação e melhoramento de recursos genéticos.

NB Iot

A dificuldade para as redes de telecomunicações avançar para as áreas rurais, apontou Jueliton Silveira, diretor de Relações Públicas e Comunicações da Huawei. Segundo o executivo, a tecnologia NB-IoT (Narrow Band Internet das Coisas) traz mais vantagens para os  investimentos nas áreas rurais em relação à tecnologia LTE (4G). Entre elas, a bateria da NB dura mais de 10 anos, ou 20 vezes mais do que a LTE, a área de cobertura é  mais ampla (alcança quatro vezes mais do que a LTE) e é capaz de receber 100 mil sensores por célula. Os executivos participam do painel Telebrasil 2019.

 

Anterior TIM Brasil vai crescer entre 3% e 5% neste ano
Próximos EUA dão 90 dias para operadoras se adaptarem ao banimento da Huawei