Agora, PT decide pleitear presidência da Comissão de Ciência e Tecnologia.


Em votação secreta realizada hoje ,7, a bancada de deputados federais do PT decidiu que a presidência da Comissão de Ciência, Tecnologia e Informática será uma das três que o partido irá pleitear na reunião de líderes que acontece amanhã, 8, na Câmara. Desde a última segunda-feira os líderes partidários vêm negociando o comando das …

Em votação secreta realizada hoje ,7, a bancada de deputados federais do PT decidiu que a presidência da Comissão de Ciência, Tecnologia e Informática será uma das três que o partido irá pleitear na reunião de líderes que acontece amanhã, 8, na Câmara. Desde a última segunda-feira os líderes partidários vêm negociando o comando das comissões permanentes da Câmara. Ontem, o deputado Walter Pinheiro (PT-BA) disse ao Portal Tele.Síntese que o partido não ficaria com a presidência da Comissão de C&T.

Na votação, além da Ciência e Tecnologia, o PT também definiu como prioritárias as comissões de Finanças e Tributação e a de Desenvolvimento Urbano. Mas a decisão final sobre as presidências das comissões só virá na próxima terça-feira, quando haverá as eleições.

Considerada uma das mais importantes comissões da Câmara, a Comissão de Finanças e Tributação avalia a adequação financeira e orçamentária de projetos que envolvem recursos públicos. No ano passado, o PT presidiu as comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ); de Educação e Cultura; e de Direitos Humanos e Minorias.

PSDB

Além do PT, o PSDB e o PP também já demonstraram claro interesse em presidir a comissão de C&T. O PSDB já até escolheu quem irá presidir a comissão caso o partido fique com ela ao final da negociação dos líderes: o deputado Júlio Semeghini. Do lado do PP, o deputado Sandes Júnior (GO) já sinalizou a vontade de presidir a comissão.

Normalmente, a distribuição dos cargos nas comissões é feita pelo critério da proporcionalidade partidária no início de cada legislatura. Esse critério prevê que, de acordo com o número de deputados eleitos, a Mesa Diretora calcula o número de cargos a que cada partido terá direito.

Esse critério, no entanto, pode ser influenciado pela formação de blocos partidários, como ocorreu nesta legislatura – 17 partidos se juntaram em três grandes blocos. O bloco PMDB-PT-PTB-PP-PR-PSC-PTdoB-PTC terá direito a 11 presidências de comissões. O bloco PSDB-PFL-PPS terá direito a 6 presidências de comissões. Já o bloco PSB-PCdoB-PDT-PAN-PMN-PHS deverá ficar, segundo a proporcionalidade, com a presidência de 3 comissões.

Hoje de manhã os líderes partidários na Câmara se reuniram para discutir as presidências. Segundo o líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ), que participou da reunião de hoje, os dois maiores blocos (PMDB-PT-PTB-PP-PR-PSC-PTdoB-PTC e PSDB-PFL-PPS) estão com dificuldades de acomodar as demandas por causa de seu tamanho. O líder do PSDB, deputado Antonio Carlos Pannunzio (SP), negou que haja querela entre os partidos que compõem seu bloco. Ele lembrou que foi realizado hoje um almoço entre as lideranças do PSDB, do PFL e do PPS para "afinar os instrumentos".

Da Redação com Agência Câmara

Anterior Jobs, da Apple, pede o fim da proteção para música. Paradoxo?
Próximos Abinee: mercado de PC 20% maior em 2007.