África do Sul pode aderir ao padrão nipo-brasileiro de TV digital


Uma delegação do governo da África do Sul chega ao Brasil no dia 8 de fevereiro para conhecer de perto o sistema de TV digital nipo-brasileiro. O objetivo é estudar a possibilidade de implantação imediata do mesmo padrão naquele país, de forma que os sul-africanos possam acompanhar os jogos da Copa do Mundo pela TV …

Uma delegação do governo da África do Sul chega ao Brasil no dia 8 de fevereiro para conhecer de perto o sistema de TV digital nipo-brasileiro. O objetivo é estudar a possibilidade de implantação imediata do mesmo padrão naquele país, de forma que os sul-africanos possam acompanhar os jogos da Copa do Mundo pela TV em alta definição.

Segundo o assessor especial da Casa Civil, André Barbosa, a África do Sul ainda não implantou a TV digital terrestre, apesar de oferecer programas em alta definição pela TV por assinatura. Ele acredita que, caso o governo sul-africano decida rapidamente, há uma possibilidade real de que o sistema pssa ser implantado até junho, quando começam os jogos da Copa.

A delegação será chefiada pelo diretor-geral do Departamento de Comunicação da África do Sul, Mamaduti-Mohlala, e contará com a presença do presidente da agência de telecomunicações (Icasa), Paris Mashile. Os sul-africanos começam a viagem por São Paulo, onde participarão de reunião do Fórum da TV Digital. Na mesma cidade, visitam emissoras de televisão brasileiras e as Universidades de São Paulo e Makenzie.

No dia 10, em Brasília, a delegação terá encontros com os ministros das Comunicações, das Relações Exteriores e da Casa Civil. Os sul-africanos ainda visitam a Zona Franca de Manaus e Santa Rita do Sapucaí (MG), onde estão instaladas indústrias de equipamentos para radiodifusão.

Peru, Argentina, Chile e Venezuela já aderiram ao padrão nipo-brasileiro de TV Digital. Equador e Cuba devem anunciar brevemente a adesão ao mesmo sistema, informa André Barbosa.

 

Anterior Comissão Europeia aprova aquisição da Sun pela Oracle
Próximos Reunião da Anatel termina sem decisões significativas