Acordo entre Telebras e RNP vai turbinar conectividade nas universidades


Telebras e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) anunciaram nesta quinta-feira (1º) o início de um projeto piloto para integração de universidades (IFES) e institutos tecnológicos federais (IF) em alta velocidade à rede acadêmica nacional (rede Ipê). O objetivo é aumentar o acesso à rede acadêmica nos campi no interior para velocidades de conexão a partir de 100 Mbps.

O projeto piloto será realizado em dois estados. No Tocantins, o objetivo é integrar os campi da Universidade Federal (UFT) e do Instituto Federal (IFTO) do estado, localizados em Gurupi, ao PoP-TO, que está na UFT, em Palmas. Em Goiás, o campus do Instituto Federal de Goiás (IFG), em Anápolis, será conectado ao PoP-GO, localizado na Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia.

A Telebras e a RNP ampliarão a infraestrutura de backhaul nas localidades com campi no interior para permitir a conexão em maior velocidade das instituições de educação e pesquisa à rede Ipê, backbone nacional para pesquisa coordenado pela RNP. Este acordo também permitirá à Telebras acelerar a implantação de suas estações de transmissão nos municípios no interior, favorecendo o atendimento de outros clientes nessas localidades, no contexto do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL).

Atualmente a RNP interliga cerca de 800 organizações usuárias, entre universidades, institutos federais, hospitais de ensino e museus através de Pontos de Presença (PoPs) Estaduais. A estes PoPs são interligadas os campi localizados em área urbana, a 1 Gbps. As conexões aos campi do interior, atualmente limitadas em abrangência e velocidade, constituem o alvo inicial do acordo de cooperação com a Telebras, e representam cerca de 350 instituições.

Segundo o diretor da RNP, Nelson Simões, a execução deste projeto piloto permitirá avaliar os modelos e os resultados obtidos para sua extensão a outras universidades e institutos federais no Brasil. Isto não só acelera a ampliação da capacidade de conexão das instituições de educação e pesquisa no interior, essenciais para a colaboração a distância em várias áreas, especialmente nas aplicações de Educação e Saúde, como também melhora as condições para a atração e fixação de recursos humanos nestas cidades.

O presidente da Telebras, Caio Bonilha, disse que a rede nacional de telecomunicações ligará Fortaleza a Porto Alegre, pelo interior, até o primeiro trimestre de 2012 e que no segundo trimestre conectará essas duas capitais pelo litoral. Ele destacou ainda a atuação da estatal no fomento à tecnologia nacional na área de telecomunicações. As compras feitas pela empresa priorizam produtos com tecnologia desenvolvida no Brasil.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Anatel e Embratel divergem sobre reparo do cabo submarino
Próximos Valente entende que leilão de 700 MHz pode também contemplar radiodifusores