Ações das teles fecham em queda após anúncio do leilão de 700 MHz


As ações do grupo Telefônica Vivo, TIM, Embratel e Oi fecharam hoje em queda, acompanhando o desempenho geral da Bovespa, após o anúncio do leilão de 700 MHz, que ocorrerá em 30 de setembro, feito ontem pela Anatel.

A TIM foi a que mais sofreu, com perda de 3,8% seguida pela Embratel, Telelefônica e Oi. Na avaliação dos analistas, não deverá aparecer nova empresa para disputar o leilão,  e o governo deverá arrecadar apenas o preço mínimo, já considerado bem alto pelo mercado.

Para os bancos, a economia de escala que será gerada pela faixa de 700 MHz não deverá compensar o alto preço de venda do espectro, de R$ 0,74/MHz/pop ou US$ 0,33 MHz/pop (considerando-se a venda de 80 MHz para uma população de cerca de 200 milhões), pois não há receita nova, mas apenas complementar ao que já existe com a faixa de 2,5 Hz que foi licitada em 2012.

O valor total deste leilão é de R$ 11,8 bilhões, sendo que R$ 8,2 bi irão para o Tesouro Nacional e outros R$ 3,6 bilhões para a limpeza da faixa, ainda ocupada pelas emissoras de TV analógicas.

As avaliações são de que não haverá nenhuma operadora nova (nem mesmo a AT&T, que comprou recentemente a operadora de TV paga DirecTV Sky da América Latina e Brasil) e nem mesmo a Nextel deverá participar da disputa. O que deixará os quatro lotes para as quatro operadoras instaladas – Claro, Oi, TIM e Vivo. As duas operadoras regionais (CTBC e Sercomtel) terão chance de comprar o espectro referente a sua área de cobertura, mas irão disputar com a quarta empresa que ainda não tiver adquirido  700 MHz no leilão.

Anterior Ingram fecha parceria com a Oi para soluções em nuvem
Próximos Desoneração com REPNBL custa R$ 85 milhões ao governo em julho