Ações da PT despencam 10% e contaminam papéis da Oi, que recuam 6,4%


Títulos da operadora portuguesa chegaram a cair mais de 28% e da Oi, 8,8%. Falta de perspectivas de recuperar o calote da Rioforte foi principal motivo do desempenho negativo das teles nas bolsas.

As ações da Portugal Telecom fecharam o dia com queda de 10,05% para 1,092 euros. Contudo, durante a sessão do Bolsa de Lisboa, os papéis da operadora chegaram a despencar um máximo de 28,75% para 0,865 euros, um novo mínimo histórico. E esse movimento contagiou os títulos da Oi, que chegaram a cair quase 9%, ma fecharam o dia com desvalorização de 6,4% a R$ 1,17.

Analistas contatados adiantam que não há fatos concretos que expliquem este comportamento das ações da PT. No entanto, o acreditam que a recusa do Tribunal do Luxemburgo ao pedido de gestão controlada da Rioforte reduziu as expectativas de que a Portugal Telecom venha a recuperar uma maior fatia do investimento de 900 milhões de euros em dívida da “holding” do Grupo Espírito Santo.

Diante desse desempenho da Portugal Telecom, o regulador da bolsa de Lisboa – a CMVM – considerou que pode ter havido a ocorrência de um fenômeno de especulação com impacto negativo e decidiu suspender as apostas na queda dos títulos. Como resultado, proibiu a venda a descoberto das ações da PT durante todo o dia de amanhã (21).

As ações da TIM também fecharam em queda de 4% valendo R$ 11,28 e as da Telefônica recuaram 0,9%, a R$ 48,13.

Anterior "A voz acabou", afirma Carlos Blanco, diretor da Telefónica
Próximos Inscrições para o Start-Up Brasil vão até sexta-feira