Acision quer ampliar parceria com celulares no Brasil


Líder mundial em plataformas de mensagem para celulares, com cerca de 50% do tráfego mundial, a Acision, ex-Lógica CMG, quer reforçar sua presença junto às operadoras móveis do Brasil, com o fortalecimento de sua área de SMS e a abertura de novos negócios em aplicações como correio de voz, tarifação, gerenciamento de publicidade e otimização …

Líder mundial em plataformas de mensagem para celulares, com cerca de 50% do tráfego mundial, a Acision, ex-Lógica CMG, quer reforçar sua presença junto às operadoras móveis do Brasil, com o fortalecimento de sua área de SMS e a abertura de novos negócios em aplicações como correio de voz, tarifação, gerenciamento de publicidade e otimização do uso da banda larga. Para isso, fez do Brasil a sede de sua nova unidade latino-americana, sob o comando de Rafael Steinhaurser, que, entre outras experiências, comandou a subsidiária brasileira da Cisco e dirigiu a Nortel Networks do Brasil.

O primeiro objetivo de Steinhauser é, segundo ele, apoiar as celulares, para as quais já fornece plataformas de mensagens, na preparação de sua infra-estrutura para suportar um aumento substancial do tráfego de SMS. Hoje, a média brasileira é de apenas oito mensagens/mês por usuário, contra 153 mensagens/mês na Venezuela e perto de cem na Argentina. O fraco desempenho do serviço no Brasil se explica, na análise do presidente da Acision América Latina, pelo elevado custo do SMS (sete vezes o cobrado na Argentina e dez vezes o preço da Venezuela) e pelo fato de as celulares ainda não terem desenvolvido efetivas parcerias com redes de televisão e a mídia impressa, para o desenvolvimento de ações com estímulo ao consumo de SMS. “Há muito espaço para o SMS crescer no Brasil”, diz Steinhauser, lembrando que o serviço de mensagem deve crescer, em nível mundial, cerca de 12% este ano, contra 4% de expansão do serviço de voz. “No Brasil, o SMS não representa nem 10% da receita das celulares”, observa.

O objetivo da Acision é, também, conquistar espaço em outros serviços não voz, com suas plataformas já consolidadas em correio de voz e tarifação ou com as novas plataformas, colocadas em comercialização a partir do segundo semestre de 2008, voltadas para o serviço de 3G. A plataforma de publicidade permite que a operadora defina, na tela do computador, o público-alvo da campanha (por faixa etária, por localização, etc.) e dispare a campanha. Já a de banda larga abre espaço para uma gestão otimizada do espectro ocupado pelo cliente, segundo a velocidade contratada e o plano tarifário.

A Acision é uma empresa de cerca de US$ 500 milhões, com cerca de 300 clientes móveis ao redor do mundo. “O Brasil é, para nós, principalmente um mercado potencial”, diz Steinhauser.

Anterior Ponto Extra faz SDE investigar ABTA por infração à ordem econômica
Próximos CCT designa relator do polêmico projeto que criminaliza downloads na internet