Acision anuncia novas soluções móveis e a saída de Steinhauser


A Acision anunciou hoje duas novas soluções para operadoras móveis, uma que torna o serviço de mensagem de texto (SMS) mais inteligente, permitindo o envio de mensagens a cobrar; e um modelo de computação em nuvem para operadoras móveis. A empresa também comunicou a saída de Rafael Steinhauser, que deixa o comando da Acision na América Latina, após dois anos e meio à frente das operações. Em seu lugar, assume Vancrei Oliveira, que terá o cargo vice-presidente regional para América Latina. O executivo trabalha na Acision há 11 anos.

De acordo com Steinhauser, 40% dos usuários do serviço pré-pago no Brasil não respondem às mensagens de texto por falta de crédito. “A solução SMS a Cobrar e Resposta de SMS possibilita a esses clientes enviar mensagens mesmo quando não têm crédito, solicitando a quem recebe debitar a mensagem em sua conta”, informou o executivo. Oliveira acrescentou que a solução chegará ao mercado ainda este ano e que poderá ser usada por pessoas físicas ou em uma campanha de marketing. Já o modelo de negócios de serviço em nuvem da Acision será lançado comercialmente em outubro na modalidade Software como Serviço (SaaS). A solução permitirá à operadora oferecer novos serviços de valor adicionado a partir da nuvem (mensagens personalizadas, como mensagens em grupo, auto resposta e outros).

Mavam

Steinhauser informou que, em outubro, sai a oitava edição de seu relatório Mavam, que avalia o uso de serviços financeiros no celular. Segundo ele, o estudo mostra que 6,9% dos brasileiros já usam algum tipo de serviço bancário ou financeiro através do celular, fazendo consulta a saldos, transferência bancárias ou pagamento de contas. “No último trimestre deste ano, os serviços de valor adicionado representaram 18% das vendas líquidas de serviços das operadoras no Brasil, somando R$ 2,141 bilhões”, comentou, enfatizando que essa será outra informação explorada no relatório.

Anterior Portugal Telecom quer mais desoneração fiscal. Agora, para redes de celular.
Próximos TIM acha cedo a licitação da faixa de 2,5 GHz em abril