Governo de SP quer mais banda larga e unificação do atendimento digital


Segundo o subsecretário de Governo, Julio Semeghini, o governo de São Paulo está unificando as bases de dados para ampliar os serviços digitais e adotando o conceito de empreendedorismo para a inclusão digital.

O governo de SP quer ampliar os serviços digitais, instalar mais pontos de acessos WiFi, tornar disponíveis os mais variados apps dos serviços de governo nos smartphones e unificar o atendimento ao cidadão. Segundo o subsecretário de tecnologia e serviço ao cidadão da secretaria de Governo, Julio Semeghini, com as diferentes iniciativas de inclusão digital, o governo pretende dar um novo salto no atendimento à população paulista.

Hoje,  informou, 25% das pessoas que procuram o Poupa Tempo ou o AcessaSP, utilizam esta infraestrutura para o seu próprio trabalho. Outras 25% são estudantes que buscam as instalações para a sua pesquisa e 25% estão atrás de empregos. Ao unificar as bases de dados, o governo pretende permitir, por exemplo, que aquela pessoa que procura trabalho possa ser procurado pelo próprio sistema que passaria a oferecer um curso de capacitação, curso este que  faz parte de programa de diferentes secretarias de governo.

“Mais de 75% das pessoas que procuram o Poupa Tempo têm até dois salários mínimos, por isto, precisamos vincular o conceito de empreendedorismo com o de inclusão digital”, afirmou ele.

Embora o governo paulista continue a ampliar os pontos de atendimento do Poupa Tempo ou do AcessaSP, Semeghini assinala que  a meta é  oferecer mais serviços digitais, para minimizar o deslocamento da população, que hoje precisa ir aos pontos de atendimento presencial até para fazer um agendamento.  “Estamos otimizando o uso compartilhado do governo e não apenas abrir postos presenciais, que têm custos muito altos”, assinalou.

Banda Larga

Segundo o subsecretário, hoje a demanda da população é por mais banda larga, seja nos postos públicos digitais, seja nas áreas rurais que sequer tem rede de telefonia móvel.

“Hoje, a população quer banda larga razoável para trabalhar, para se divertir. Há um grande descompasso entre os que têm computador e smartphone e a oferta da banda larga”, afirma o subsecretário. Segundo ele, o governo tem instalado 177 pontos de acessos WiFi e leva o AcessaSP para as áreas rurais e pretende continuar a ampliar o programa.

Pretende ainda tornas disponíveis diferentes marcas de smartphones nos pontos de atendimento de SP .

Julio Semeghini participou do 17º Wireless Mundi, promovido pela Momento Editorial, com o patrocínio da Furukawa, Oi,TIM e apoio da Brisa, Ericsson, Prodam, Prodesp e Vert.

 

 

 

 

 

 

Anterior Nova agência reguladora para proteção de dados na internet ganha força
Próximos Serpro cria o "Cidadão mais Simples"

1 Comment

  1. Arivaldo Costa Araujo
    11 de agosto de 2015

    Prezada Miriam,
    Comento sobre “Nova Agência Reguladora para Internet. Meu receio é que este novo Órgão seja mais um “cabide de empregos” para abrigar incompetentes, como acontece hoje com Anatel e tantas outras Agencias.
    Talvez se reorganizarmos e aparelharmos a Anatel, com pessoas capazes com era antes, gestão eficiente e eficaz, seria o suficiente.
    Temos ainda muitos técnicos capazes e experientes na Agencia.
    Att.
    Arivaldo Araújo
    Diretor Corporativo
    Grupo Spread TI