Abinee lança em fevereiro Frente Parlamentar da indústria eletroeletrônica


A Abinee, segundo seu presidente executivo, Humberto Barbato, decidiu voltar a articular uma Frente Parlamentar da Indústria Elétrica e Eletrônica, com o objetivo de debater com os parlamentares os problemas da indústria e articular melhor a defesa de seus interesses. Na pauta do Congresso está, por exemplo, a reoneração com PIS/Cofins de equipamentos como smartphones, computadores e tablets, entre outros, a partir de janeiro de 2016, definida pelo governo.

Tema crucial para a indústria eletroeletrônica – foi a desoneração, estabelecida pela Lei do Bem, que levou ao crescimento da demanda por esses equipamentos no país –, a reoneração já foi aprovada pela comissão mista da MP, mas ainda tem que ir ao plenário das duas Casas. O acordo feito com o governo mantém a reoneração em 2016 dos produtos com PIS/Cofins, reduz para 50% em 2017 e a zero em 2018.

Em seu discurso, repleto de número negativos de um ano em que o setor andou para trás, Barbato, após uma série de críticas à política econômica, mencionou a oportunidade trazida pela desvalorização cambial, também destacada pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro. “A política cambial negligente praticada pelo menos nos pultimos dez anos promoveu a desindustrialização do país, ceifando elos da cadeia produtiva e inibindo a ação dos empresáriosem direção a uma pauta exportadora”, afirmou. Hoje, a Abinee realizou em São Paulo seu tradicional almoço de final de ano.

Anterior Ministro não pensa em adiar consulta pública da concessão
Próximos Motorola Solutions se transforma em "máquina de aquisições"