Abinee defende projeto de terceirização de mão de obra


O presidente da Abinee, Humberto Barbato, acompanha, amanhã (7), em Brasília, a votação na Câmara dos Deputados do PL 4330/2004 que regulamenta a terceirização da mão de obra no setor produtivo.

Segundo Humberto Barbato, presidente da Associação Brasileira da Indústria Eletro-Eletrônica (Abinee)  a aprovação da terceirização se apresenta como uma questão fundamental para o incremento da competitividade do país. “Hoje, com a evolução tecnológica, a definição do trabalho terceirizado é parte integrante e primordial da economia moderna.

Para ele, A falta de uma regulamentação no Brasil, deixa o setor industrial  em uma posição de atraso em relação às demais nações. O destaca que este regime traz inúmeras vantagens para toda a sociedade, permitindo a redução do custo da mão de obra, a geração de mais emprego e o aumento do salário líquido do trabalhador.

As centrais sindicais são, porém, contra o projeto de lei, pois alegam que ele não deve prever a terceirização nas atividades finalísticas das empresas. Para os sindicatos, este projeto acabaria tornando o trabalho brasileiro mais precário e impedindo a organização dos trabalhadores. ( com assessoria de imprensa). 

Anterior Planejamento pretende divulgar regras para abertura de código fonte este mês
Próximos Mayer e Salomão: Alternativas para alavancar o setor de TI