Abertura de empresa tem o pior resultado do trimestre


TeleSintese-Grafico-queda-seta-indicador-indice-negativo-Fotolia_93954515

No 2º trimestre de 2017 o número de novas empresas caiu 3,8% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional.

Assim, o resultado configura a primeira queda para esse trimestre desde o início da série histórica (2003). Ainda assim, os valores acumulados no semestre mantiveram números positivos, porém desacelerando 2 p.p. – passaram de um nível de 8,3% para atuais 6,3%.

Na classificação por forma jurídica, a variação acumulada no ano (semestre) mostrou que as MEIs (Microempreendedor Individual) continuam com papel de destaque, crescendo 11,3% frente ao mesmo período do ano anterior, enquanto as Microempresas (MEs) apresentaram pequena alta de 1,0%. Já os demais tipos de empresa caíram 23,4%, mantida a base de comparação.

O levantamento mostrou que o setor de serviços perdeu um pouco da representatividade, passando de 56,3% no acumulado do 1º semestre de 2016 para atuais 56,0%. O comércio, por sua vez, voltou a ganhar espaço, ao passar de 32,8% para 34,7% do total. Já o setor industrial também diminuiu sua participação, passando de 10,3% para 8,6% no período, enquanto o setor rural cresceu timidamente, 0,1 p.p., com atuais 0,7% do total de empresas. (assessoria de imprensa). 

Anterior Operadoras se preparam para enterrar fiação no centro de São Paulo
Próximos MCTIC publica regra para recurso às glosas do investimento em P&D