Abertura de capital da holding AL não afetará acionistas da Telefônica Brasil, diz CFO


O diretor financeiro da Telefônica/Vivo, Gilmar Camurra, falou a jornalistas nesta terça-feira (4) para esclarecer que a abertura de capital de uma holding das operações da espanhola Telefónica na América Latina não afetará os acionistas da operação brasileira. A venda de 10% a 15% das ações da holding nas bolsas de Nova York e Madrid está sendo avaliada pelo Grupo Telefónica como uma forma de demonstrar que seu próprio negócio vem sendo subavaliado. “Para os acionistas do Brasil, não tem nenhuma influência, não tem troca de ações. Nada”, declarou Camurra.  

Camurra fez questão de salientar que a operação ainda não foi aprovada pelo board da Telefónica espanha e que o valor de 4 bilhões de euros pela holding é uma estimativa de analistas.  

 

Anterior Ancine prevê abertura de 2 mil processos por falta de arrecadação da Nova Condecine
Próximos Câmara confirma retirada de artigo da MP que descriminalizava operação de emissora irregular