A Portugal Telecom resiste: a Vivo não vale nada?


De acordo com noticiário publicado na imprensa internacional, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários decidiu autorizar a oferta de aquisição hostil (hostile takeover bid) da Sonaecom pela Portugal Telecom (PT) e por sua subsidiária PT Multimídia, na manhã de hoje (horário de Lisboa), horas depois que PT soltou comunicado argumentando que a oferta da …

De acordo com noticiário publicado na imprensa internacional, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários decidiu autorizar a oferta de aquisição hostil (hostile takeover bid) da Sonaecom pela Portugal Telecom (PT) e por sua subsidiária PT Multimídia, na manhã de hoje (horário de Lisboa), horas depois que PT soltou comunicado argumentando que a oferta da Sonaecom está bilhões de dólares abaixo do seu valor e, por isso, conclama os acionistas da PT a rejeitar a oferta.

Em entrevista à imprensa e em sucessivos comunicados, a PT disse que avaliou suas próprias ações pelo mesmo método usado pela Sonae no prospecto que enviou à CMVM, chegando à conclusão que o valor unitário de sua ação é de US$ 16,41. Essa cifra é menor do que os US$ 12,28 por ação que a SonaeCom está ofertando. A reação da PT Multimedia (da qual a PT tem 58%) não ficou atrás: “A Sonaecom está oferecendo um desconto e não um prêmio aos acionistas da PTM”, declarou a diretoria da Multimedia.

Os números

Nas contas da PT, multiplicando  US$ 16,41 pelo número de ações envolvido, seu valor efetivo estaria de US$ 5 bilhões a US$ 6 bilhões acima dos US$ 18 bilhões oferecidos pela Sonaecom – cerca de US$ 14,8 bilhões pela PT, US$ 3,2 bilhões pela PTM. A maior operadora de telecom portuguesa desfia mais um argumento contrário à aceitação da oferta da Sonaecom: essa OPA não atribui qualquer valor aos 50% das ações da PT na brasileira Vivo, e tampouco a nenhum outro ativo da empresa fora de Portugal.

(Da Redação)

Anterior Sonaecom é autorizada a comprar a Portugal Telecom
Próximos Oracle nomeia nova vice-presidente de aplicativos no Brasil