A pedido da Abert, Anatel prorroga consulta pública de canais UHF.


A Anatel decidiu prorrogar para até o dia 26 de novembro a consulta pública 833, que destina 10 novos canais de UHF para geradoras de TV. A consulta, cujo prazo para contribuições terminava hoje, foi atacada com veemência pelos radiodifusores, já que, pela proposta, a agência iria destinar quatro desses canais, nas cidades pequenas, para …

A Anatel decidiu prorrogar para até o dia 26 de novembro a consulta pública 833, que destina 10 novos canais de UHF para geradoras de TV. A consulta, cujo prazo para contribuições terminava hoje, foi atacada com veemência pelos radiodifusores, já que, pela proposta, a agência iria destinar quatro desses canais, nas cidades pequenas, para as operadoras de telecomunicações de telefonia fixa, de comunicação multimídia ou de telefonia celular também prestarem o serviço.

A reação dos radiodifusores contou com o apoio do ministro das Comunicações, Hélio Costa, que na semana passada encontrou-se com o presidente Lula para reclamar da proposta da agência. Com tanta pressão, a Anatel decidiu chamar os dirigentes da Abert (Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e TV), que representa as emissoras comerciais de TV para conversar, e prorrogou o prazo de envio de sugestões.

Com a mudança sugerida pela agência, as repetidoras de TV que hoje ocupam os canais 60 a 69 no espectro de UHF serão transferidas para outras bandas, para que, em 700 cidades de médio porte e capitais brasileiras onde as freqüências estão congestionadas, possam ser implantados os canais de TV pública criados pelo governo. Nos demais quatro mil municípios, conforme a consulta,  seriam alocados seis canais de 6 MHz para as emissoras de TV tradicionais e outros quatro canais seriam destinados para empresas de telecom.  

Anterior Nokia quer tarifa única para dados
Próximos Lula amplia comissão que elabora lei de comunicação de massa