A disputa pela Colombia Móvil


Foi o próprio prefeito de Bogotá, Luis Eduardo Garzón, a anunciar que sete operadoras aceitaram o convite para participar do processo de seleção de um sócio estratégico para a Colombia Móvil. Manifestaram interesse na empresa controlada pela Empresas Públicas de Medellín (EPM) e pela Empresa de Telecomunicaciones de Bogotá (ETB) a mexicana América Móvil; a …

Foi o próprio prefeito de Bogotá, Luis Eduardo Garzón, a anunciar que sete operadoras aceitaram o convite para participar do processo de seleção de um sócio estratégico para a Colombia Móvil. Manifestaram interesse na empresa controlada pela Empresas Públicas de Medellín (EPM) e pela Empresa de Telecomunicaciones de Bogotá (ETB) a mexicana América Móvil; a venezuelana CANTV; Entel PCS do Chile; a Millicom, de Luxemburgo; o grupo espanhol Telefónica; a britânica Cable & Wireless; e a Swetel, da Suécia. Não responderam ao convite a coreana SK Telecom e a Telemar.

Entre os bancos de investimento que participariam no processo incluem-se o holandês ABN Amro, BNP Paribas da França, Colcorp da Colômbia y Santander Investment da Espanha. Todos terão acesso, durante 30 dias, ao data room da Colombia Móvil. O prefeito Grazón lembrou, mais uma vez, que o processo não implica a venda da Colombia Móvil, mas a busca de um parceiro tecnológico e de capital.

(Fontes: Convergencialatina com La Republica e Portafolio da Colômbia)

Anterior TV digital: em setembro, só transmissões experimentais
Próximos Verizon vende subsidiárias a empresas de Slim