A CPM reinicia processo de abertura de capital


Em fato relevante distribuído ontem, 11 de dezembro, a companhia solicitou à Comissão de Valores Mobiliários o reinício do prazo de análise do pedido de registro de distribuição pública primária e secundária de ações ordinárias, nominativas, escriturais, sem valor nominal, de sua emissão, a ser realizada no Brasil e no exterior. A CPM protocolou seu …

Em fato relevante distribuído ontem, 11 de dezembro, a companhia solicitou à Comissão de Valores Mobiliários o reinício do prazo de análise do pedido de registro de distribuição pública primária e secundária de ações ordinárias, nominativas, escriturais, sem valor nominal, de sua emissão, a ser realizada no Brasil e no exterior. A CPM protocolou seu pedido em 17 de maio deste ano, mas, em setembro, pediu que o processo fosse interrompido.

Os acionistas vendedores são o Bradesco e a IT Partners Delaware LLC. A totalidade das ações será colocada no Brasil, através de instituições financeiras lideradas pelo Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A. ("Coordenador Líder") e pelo Banco UBS Pactual S.A.

No período de nove meses encerrado em 30 de setembro, a receita líquida da CPM foi de R$ 406 milhões, 26% acima da obtida no mesmo período de 2005. E o prejuízo acumulado de janeiro a setembro de 2006 totalizou R$ 101 milhões, mais de 196% acima do prejuízo de R$ 34 milhões de igual período do ano passado.

(Da Redação

Anterior A saída das celulares é o varejo, garante Andersen, da Ericsson.
Próximos Telemar implanta tarifador convergente do CPqD