85% das operadoras planejam investir em WiFi até 2016


Pesquisa, encomendada pela Amdocs e realizada pela Real Wireless e Rethink Technology Research, revela planos de operadoras em todo o mundo de ampliar os investimentos em redes WiFi de grande porte. De acordo com a pesquisa, o investimento decorre de exigência de maior qualidade de experiência (QoE), especialmente em função do uso de recursos como TV móvel, monitoramento de saúde, voz corporativa, jogos online, transmissão de mídia e serviços de Voz sobre Protocolo Internet (VoIP). 

De acordo com a pesquisa, os hotspots WiFi de grande porte passarão dos atuais 14% para 72% dos hotspots WiFi em monetização do WiFi em 2018. Até 2016, 77% das operadoras planejam usar “homespots” (onde o usuário aceita deixar o hotspot aberto para uso de desconhecidos), um expressivo crescimento em relação aos atuais 30%.

Quase todas as operadoras (85%) planejam investir em WiFi de grande porte até 2016. Segundo as empresas, esta espécie de rede oferece melhor posicionamento em acordos de operadoras de rede móvel virtual (MVNO), apoiando ofertas quad-play e serviços wireless, enquanto MNOs planejam usar o WiFi de grande porte para ampliar suas redes e reduzir o tráfego da rede de acesso via rádio (RAN).

Até o final de 2016, 61% dos hotspots WiFi de operadoras de múltiplos serviços e 70% dos hotspots de operadoras de telefonia móvel virão de terceiros, para aproveitar as economias de custo e o desenvolvimento acelerado, contra os atuais 45%. Quase dois terços (65%) dos participantes da pesquisa colocaram a falta de forte planejamento de rede e ferramentas de gestão entre seus três principais fatores de risco para investir em WiFi de grande porte, com 65% deles declarando que suas ferramentas atuais não se estenderão bem para WiFi sem investimento adicional.

A pesquisa foi realizada entre agosto e outubro de 2014, com gerentes de WiFi de 40 prestadores de serviço na Ásia-Pacífico, Europa, América Latina e América do Norte.

Anterior Barbato elogia escolha ministerial, mas se diz preocupado com BNDES
Próximos Telefônica Vivo e USP assinam acordo para pesquisa em Smart Cities