64% dos usuários brasileiros com smartphone já falam pelo WhatsApp


Pesquisa realizada pela Opinion Box e Mobile Time junto a 1.268 internautas brasileiros dos quais 92% tinham smartphones apurou que 89% enviaram alguma mensagem nas últimas 24 horas pelo WhatsApp. Já o Facebook Messenger foi utilizado nas últimas 24 horas pela metade dos participantes da pesquisa. 23% afirmaram ter feito entre um e sete dias e 9% entre uma semana e um mês. E 64% das pessoas disseram já ter experimentado o serviço de voz do WhatsApp e 22% já fizeram uso de voz no Facebook Messenger.

Conforme a pesquisa, realizada pela Opinion Box e Mobile Time, os entrevistados, quando questionados sobre o uso do SMS, revelam uma utilização significativamente menor do que os aplicativos móveis: 35% deles informaram ter feito envio de SMS nas últimas 24 horas. Já 6% das pessoas nem se lembram mais quando foi a última vez que utilizaram o serviço.  “A popularização dos apps também afeta o envio de SMS. 78% dos entrevistados que utilizam algum app afirmaram ter reduzido muito o envio de SMS e 16% disseram ter reduzido um pouco”, explica Felipe Schepers, COO do Opinion Box.

Os serviços de alerta enviados por mensagens de texto estão  também perdendo a popularidade. Apenas 16% das pessoas ainda assinam algum serviço de recebimento automático de conteúdo ou alerta via SMS. Entre os donos de smartphones, os assinantes são apenas 16%, enquanto entre os donos de outros tipos de aparelhos são apenas 13%. Entre os que continuam recebendo algum tipo de boletim, 60% disseram que recebem alertas financeiros do banco, 47% recebem informações do cartão de crédito, 32% assinam algum topo de canal de notícias e 15% recebem conteúdo educativo. “Os alertas só valem a pena quando trazem algum tipo de informação real ao usuário. O gasto com o cartão de crédito, o uso do cartão de débito, um investimento em alta. Essa informação é valiosa para as empresas que costumam enviar mensagens aos clientes”, avalia Schepers.

Mas as  pessoas começam a reclamar dos SPAMs. Entre os usuários do WhatsApp, por exemplo, 39% das pessoas afirmaram já ter recebido alguma mensagem de propaganda de número desconhecido. Porém, 67% dos usuários do app aceitariam receber propaganda desde que fosse autorizada por eles em troca de poder continuar usando o aplicativo de graça. Outros 12% prefeririam pagar para usar o WhatsApp sem propaganda e 21% não aceitariam nem pagar e nem receber propaganda.

Quando questionados quanto à possibilidade de pagar para continuar usando serviços móveis de mensagens instantâneas, 57% dos entrevistados disseram que não pagariam e trocariam de app; 21% aceitariam pagar R$ 2,00 por ano; 14% pagariam R$ 2,00 por mês e 8% pagariam R$ 2,00 por semana.

No SMS, o problema dos SPAMs torna-se ainda mais complicado. 99% dos entrevistados declararam já ter recebido mensagens com propagandas indesejadas. A frequência de recebimento é interessante: 46% das pessoas responderam ter recebido naquele mesmo dia; 35% disseram ter recebido pela última vez entre um e sete dias atrás; 9% nos últimos 30 dias; 2% entre um e seis meses; 1% há mais de seis meses e 6% não se lembravam quando havia sido a última vez. ( assessoria de imprensa). 

Anterior INWIT, empresa de torres da TI, tem lucro de 21 milhões de euros
Próximos Setor de TV paga prevê crescimento próximo de zero no ano