5G avança no mundo e na América Latina, apesar de adiamentos


De acordo com a 5G Americas, a associação que representa operadoras e fabricantes de equipamentos de rede 5G e LTE nas Américas, o número de conexões e redes 5G manteve o ritmo de expansão durante a pandemia de Covid-19 no mundo. Mesmo na América Latina, onde vários países, Brasil incluído, adiaram a realização de leilões de espectro, houve adição de usuários.

“Os problemas logísticos no mundo inteiro levaram à falta de dispositivos e, consequentemente, crescimento negativo do número de assinantes móveis e adoção menor de novas tecnologias. Todos os processos de alocação de espectro devem sofrer atrasos e nenhuma nova rede deve ser lançada nesse período até a situação normalizar”, afirma José Otero, vice-presidente da 5G Americas para a América Latina e o Caribe. Por enquanto, há redes 5G lançadas apenas em Porto Rico, Ilhas Virgens, Trindade & Tobago, Suriname e Uruguai.

PUBLICIDADE

Apesar desse cenário, a expectativa é que a região termine o ano com 270 mil usuários de 5G. No momento, tem apenas 3 mil, o que é pouco, mas alta de 142% em relação ao final de 2019. A projeção é da consultoria Omdia. Esse crescimento deve acontecer com a flexibilização do isolamento social e chegada de terminais mais baratos ao mercado no próximo semestre.

Segundo os dados levantados pela empresa, a 5G tinha mais de 63,6 milhões de conexões no mundo inteiro no primeiro trimestre de 2020. Significa crescimento de 308,66% comparado com o trimestre anterior. Até o final de dezembro, serão 238 milhões de conexões 5G no mundo.

Anterior Pandemia não altera cronograma de lançamento de satélites da Inmarsat
Próximos Empresas de TI tentam mobilizar Senado para postergar votação do PL 2630