Valente, da Telefônica, quer negociar uso da faixa de 700 MHz com radiodifusores



Em entrevista ao TV.Síntese, Antonio Carlos Valente, presidente do Grupo Telefônica no Brasil, analisa o leilão de 4G, fala da necessidade de negociação com os radiodifusores sobre a ocupação da faixa de 700 MHz e pede revisão de pontos da regulação que limitam a atuação das concessionárias e caminham na contramão do que quer o usuário. E revela que na oferta da TV paga a Telefônica/Vivo vai privilegiar a tecnologia IPTV na fibra óptica.

 


Sobre a revisão geral do modelo de telecom, ele é a favor do início  do debate no curto prazo. Mas como entende que esta é uma discussão longa e complexa, defende que o regulador busque logo solução para questões pontuais como a revisão dos critérios de qualidade exigidos para a telefonia fixa, para que possa ser prestada pela concessionária por meio de qualquer tecnologia, e das normas relativas ao telefone público. Segundo ele, as normas atuais da telefonia pública são onerosas para a sociedade e dificultam a vida do cidadão. (Da Redação)

Anterior Banda larga popular da Oi chega a mais 150 cidades
Próximos Consumidor deve ficar atento ao tipo de conexão do novo iPad