43º Encontro Tele.Síntese – Apresentações


ABERTURA O debate internacional. A posição brasileira Bruno Ramos | Diretor da UIT – Um balanço dos principais temas da Conferência Maximiliano Martinhão | Secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações – A posição brasileira PAINEL 1 Como delinear o futuro com os conflitos atuais no mercado brasileiro? Daniel Slavieiro | Presidente da Abert – …

topo-ets43

ABERTURA
O debate internacional. A posição brasileira

Bruno Ramos | Diretor da UIT
– Um balanço dos principais temas da Conferência

Maximiliano Martinhão | Secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações
– A posição brasileira


PAINEL 1

Como delinear o futuro com os conflitos atuais no mercado brasileiro?

Daniel Slavieiro | Presidente da Abert
– Em que faixa a radiodifusão pode crescer nos novos formatos 4K e 8k?

Janilson Bezerra | Diretor de Inovação da TIM Brasil
– O que precisa avançar na administração de espectro brasileiro?

Nilson Roberto da Silva | Gerente Executivo de Relacionamento Institucional da EBC
– O futuro da TV pública está garantido ou não?

Paulo Bertram dos Santos | Consultor de Engenharia Satélite
– Operadoras de satélite precisam da mais banda? É possível a convivência na 3,5 GHz?


PAINEL 2

A ocupação de espectro, o compartilhamento e outras questões conceituais

Agostinho Linhares de Souza Filho | Coordenador do projeto de Revisão da Gestão do Espectro da Anatel
– É possível medir a ocupação eficiente do espectro?

José Leite Pereira Filho | Professor da Universidade de Brasília
– O compartilhamento. Há entraves regulatórios? Por que ele não acontece?

Marcelo de Barros Cunha | Secretário de Fiscalização de Comunicações do TCU
– Fiscalização do TCU nas licitações de espectro

Mauro Fukuda | Diretor de Tecnologia e Plataformas da OI
– A experiência do ran sharing permite avanços e outras formas de compartilhamento?


PAINEL 3

A 5G e a indústria – O que vem por aí? A telefonia móvel, que já tem na quarta geração do celular mudança de hábitos civilizatórios,está prevendo a antecipação da quinta geração, de 2020 para 2018. O que esta nova geraçãotecnológica trará de diferente? Por que precisará de mais frequência?

Edvaldo Santos | Diretor do Centro de Inovação para América Latina da Ericsson
– Os apps serão a rede?

Ricardo Nascimento | Presidente da Visent
– O papel do big data na 5G

Rubens Milito Mendonça | Gerente de Soluções Wireless da Huawei
– A aposta nos padrões abertos

Wilson Cardoso | Diretor de tecnologia para América Latina da Nokia Networks
– A inteligência da rede estará também na nuvem?

 

ETS-43-rodape

 

Galeria de Foto

 

Anterior Dilma sanciona lei que aumenta a taxa paga pelas teles para a Ancine
Próximos Aumento de impostos sobre o setor amplia exclusão social, diz Telebrasil